segunda-feira, 28 de janeiro de 2008




Coisa de Amor
Mauro Chagas

Essa coisa de amor
Tardou mas não falhou,
Tramou esse tal de destino.
Mexeu com meus nervos

E já não sei o que é.
Quem sabe é essa coisa de amor;
Falam tantas poesias, cantam tantas prosas.
Todos sonham e desejam essa coisa de amor.

Acelerado bate forte no peito.
Um coração nervoso inseguro
Pulsa quase cortando o ar
Fazendo a respiração ofegar.

Essa coisa de amor
Não sei, se era pra ser bom,
Porque dói de cortar o ar,
se é pra fazer feliz, porque faz alguns chorar?

Essa coisa de amor
Se mistura com esse tal de destino
vindo na surdina bagunçando tudo
Fazendo a vida ficar de pernas pro ar.
De repente fica tudo colorido.
É bom ser feliz nessa coisa de amor.
Jan/2008




Isso tudo enlouquece
Mauro Chagas
To rasgando os panos da inocência
Por saber que pensar enlouquece
Formiga os miolos, ferve as idéias
O absurdo comum desrespeita o conhecimento óbvio.

De natureza fleuma
Primeiro é fato, sou burro nato.
Vejo crime em qualquer consideração
Seja verbal, ou mesmo visual

Louco de pedra

E assim vou à fora ficando louco
Alucinando pensamentos na agonia
Da busca de querer esclarecer
O mero pensamento na certeza de que isso enlouquece?
É melhor acreditar que não penso.

Louco de pedra, Acredita-se que penso.
Ctba, 22012008

2 comentários:

Iusara disse...

Olá Mauro!
Adorei....
Bjs
Sara

Flávia disse...

Ta lindo...
Parabéns...
Estamos com saudades de vcs.
Beijos